domingo, 24 de fevereiro de 2008

Sonetto

O que interessa nós que vivemos
Fazermos muito ou, então, parar
Se, mesmo que não quisermos calar
Acabamos por ceder e, morremos.

Que importa se é o que queremos?
Se nós somos muito bons a cantar
ou então todos nos ouvem falar?
Acabamos por ceder e, morremos.

Para quê mudar inteiro(nosso?) mundo?
Se sabemos que não o conseguimos
E eu vou para o cachão corcundo.

Ou então hirtos, vamos, prosseguimos,
como aquele guerreiro hundo:
ultrapassa a muralha: conseguimos!

4 comentários:

Verinha disse...

Nao é justO um texto tao bonito com 0 comentarios.
E' um texto um bocadinho triste ate' porqe fala muitas vezes na morte mas com uma escrita incrivelmente fantastica.
Parabens ao autor qe e' o unico qe ainda poe este blog em funcionamento..

Beijiinhos e alegre.se qe tem andado meio tristinho ja' nem me cumprimenta de manha..

Julinho disse...

sim senhor...
alguem leu o harry potter

MissNattyGirl disse...

Qualquer coisa de fantástico o sonetto de autoria de Excelentissimo Sr. Fabio Rato! Fiquei verdadeiramente impressionada! Beijinho

guilherme disse...

o soneto ta mt bm escrevido,
o rato ve se te lembras desta

Não está aí mas digo eu
epa ou entao não
pera lá que esta doeu
Cala-te não digas pão.

eta foi escrita pelo Rato