quarta-feira, 28 de maio de 2008

senso comum

Os rostos retratam
Aquilo que muitos escondem.
Os ricos fartam
Os pobres não comem.
Tem sido conversa de bar
Taberna, poetas e afins.
Mas acaba-se por não mudar
Em nada o ritmo do país.
PORTUGAL.
Um pais adiado,
Filho de um pai separado
Que luta pela custódia em tribunal.
PORTUGUESES.
Esperam sentados.
Casam-se com ingleses
E franceses,
Na ânsia de melhorar
Mas o respeito
A coragem e o perfeito
Acabam sempre por não encontrar.

1 comentário:

Verinhaa disse...

Hum.. Parece,me qe este texto surgiu com a composiçao de portugues, ou se calhar nao!