sábado, 20 de outubro de 2007

olha po que me haveria de dar... em vez de estar a estudar estou aqui

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce... se deus quisesse já não o teria feito? Não é ele o todo poderoso? Porque é que então temos de ser nós
A descobrir o que quer que seja? Temos um trabalho dos diabos para depois... o que sabemos é apenas uma gota num oceano para descobrir
Ou então... tanto para aprender, tanto para descobrir... se Ele fosse nosso amigo via-nos aflitos e ajudava-nos... e será que não ajuda? De onde virá
A súbita inspiração característica das grandes descobertas da ciência?
Mas se vem dele porque não nos mostra ele tudo de uma vez? Qual seria a piada de viver num mundo onde já se sabe tudo? Onde andas, fazes compras, passeias com
Os teus amigos…mas de repente uma criança questiona-nos acerca de algo e nós respondemos sem pensar, assim como movemos o joelho quando um médico nos bate com um martelo… O que andaríamos nós aqui a fazer se não fosse para pensar sobre as coisas? Acho que Deus nos criou para ter uma terceira opinião.
Mas não se contentou com o Adão e criou também a Eva… E ai viu que as opiniões mudam… que as pessoas evoluem… Então deixou que se reproduzissem.
E aqui estamos nós… não é que com esta história não acredite na evolução… já que creio que a história do Adão e da Eva é uma metáfora cheia de eufemismos
Já que estou encarreirado penso também que o amor é o castigo pelos nossos pecados… Quantos mais tiveres mais o amor te tocará no fundo… mais ele durará e mais sofrerás quando
Acabar… Até porque quando alguma coisa começa o mais certo que ela tem é o fim… Depois dizem. Não agoires!.. porquê? Sabem que é verdade mas querem manter-se
Na ilusão… O amor cega as pessoas… deixamos de pensar como racionais que somos para passarmos a "pensar" por instintos sentimentais
O que se aproveita do amor assim como do pão ou da fruta e vegetais é o miolo… O que esta por depois da casca... quando no amor passamos a casca
O mundo volta a ficar cor-de-rosa mas as pessoas esquecem-se que nada é infinito… Tudo é esférico... o pão, a laranja, a batata... quanto mais perfuramos
Mais azedo volta a ficar… Tão azedo que o amor, esse sujeito quase tão poderoso como Deus, tão magnífico que só uma origem lhe pode ser associada,
Acaba por acabar…
As pessoas não são mais do que o reflexo daquilo que vêem, das experiências passadas, do ambiente em que se desenvolvem todos os dias…
Mas então se é assim como é que as pessoas evoluem? Como é que antes era permitido a escravatura e hoje já não? Quem teve essa ideia não foi influenciado pelos os que o rodeavam?
Aqueles que mudam não serão aquele a quem deus toca? A quem deus fala ao ouvido? Esta não é, talvez, mais uma prova da sua existência?
saudações campinas

5 comentários:

Anónimo disse...

http://passemosacs.blogspot.com

Vera disse...

Hum... Texto extremamente extenso!
BeijO!*

Anónimo disse...

lol...mt filosofico...
gostei especialmente da metafora do amor comparado com a fruta e o pao, pk o que aproveitamos dele é o miolo...lol é um bocado esquizita, mas sem duvida original..
andre vidal

joao vidal disse...

por esta reflexao, axo ke andaram a consumir barba de milho.

ptt continua a escrever

andre da pa pores o nome sem ser anonimo!

Anónimo disse...

..texto bem fixe..gst...
Assim cm do restu dos textos...
Continua assim