domingo, 20 de julho de 2008

coisas práticas

As aftas. As coisas desprovidas de sentido, a não ser o sentido de nos tirar o sentido do gosto. Priva-nos dos maiores dos prazeres.

A angústia, o medo, o pavor. Tudo isso sentia naquela hora, naquele momento. A pior das sensações varria o meu corpo. Mas nada disso interessa descrever, nada disso para mim, agora, importa. Porque não interessa chorar sobre o leite derramado.
Interessava, sim, ter-se prevenido e não ter derramado o leite, mas nem isso eu fiz, nem para isso eu servi.
Sinto-me uma inútil. Não aproveitei para beber o leite enquanto o tinha e agora entornou-se.
Eu nem sabia que gostava de leite. Ele estava lá sempre. Eu bebia o leite sem dar conta, sem sentir a angústia do desmamamento.
Pavoneio-me pela sala, vazia.

Ainda não acredito que ele ganhou a custódia do meu filho.

O meu filho, meu! filho.
A casa esta vazia, demasiado vazia. Vou comprar um T0.

Tenho de ir comprar mais leite.
procura-se Titulo para a história

2 comentários:

Catarina disse...

Eu acho que vais ter que ser tu a dar um titulo à tua história ;)

* Às vezes sentimos necessidade de escrever, porque vemos nessa hipotese um refugio, um desabafo. Queremos passar o tempo ou mostrar o nosso talento, e por isso, escrevemos. Colocamos ( ou tentamos colocar ) os nossos sentimentos naquilo que redigimos e esperamos que quem lê sinta aquilo que sentia. Mas poucos conseguem fazer isso. E embora eu não possa dizer que consigo sentir aquilo que sentes cada vez que escreves um texto, posso dizer que adoro lê-los, que fico 'bem' quando os leio.

És grandeeeeeeee' =]

Um beijinhoo*

Verinha disse...

Hum.. Quer um titulo? Vou pensar num e quando me vier alguma coiisa a cabeça irei com todo o prazer dizer,lhe!

Cumprimentos!