terça-feira, 15 de julho de 2008

composição

Ele enche, volta a encher. Ultrapassa os próprios limites do recipiente. Enche. Ele ri-se, e ele enche. Comédia. Enche. Enche. Explode!
Barulho.

-O meu pai é fixe!

O meu pai é muito fixe, mas eu não sei se gosto dele. Ele conta-me histórias para adormecer, mas eu nunca adormeço. Quero ouvir o que acontece ao Bom.
O meu pai dá-se bem com a minha ama. É giro vê-los a piscar o olho. Parece que lhes entrou alguma coisa lá para dentro e eles estão a tentar tirar.
A minha ama é como o meu pai: não gosta nada das "estupidas modernices" é assim que ela lhes chama.
Acho que ela não se dá muito bem com a minha mãe. Eu também não gosto dela. Ela dá-me presentes mas nunca foi lá à escola. Nunca vai a uma festa de anos comigo. E o meu pai vai. Ea não me dá as boas noites antes de dormir, porque não esta em casa. O meu pai quando não está manda-me um e-mail. Eu gosto dele. Dele e da minha ama.

4 comentários:

Catarina disse...

Assim como o miudo gosta do pai, assim como o miudo gosta da ama, assim como o miudo gosta do pai e da ama, eu também gosto daquilo que escreves, eu também gosto dos teus textos e do teu talento, eu também gosto daquilo que tu escreves, textos com talento.

=) És fantástico'

*

FAR disse...

os textos não são dessa tal grandiosidade, aliás, não assume nenhuma ou qualquer grandiosidade... isto nem foi uma coisa pensada...saiu, foi saindo....

quanto à parte do fantástico, eu já sabia, e só mostra que és uma pessoa intelegente ao reconhecer a minha fantasticidade(=

Verinhaa disse...

Eu ate vinha para o elogiar mas ja percebi qe nao vale a pena a sua modestia esta' cada vez mais pequena portanto fico,me pelo simpless comentario continue com o bom trabalho..

BeijiiinhO*

Verinha disse...

Pronto este ja tinha comentado. Voltei a ser a companheira da Catarina nos comentarios ela bem qe precisava de companhia.
Beijiinhos para elaaa,xD