domingo, 6 de julho de 2008

fala-se e entende-se

Era um daqueles dias de Verão, em que a chuva não deixava a lua cheia penetrar por entre as nuvens de poeira que fazia o vento calmo.

Pensamos, muitas vezes, de forma linear, outras de forma complexa e outras, ainda, não pensamos. Pensar requer o esforço mental de fazer funcionar o cérebro. Pensamos quando temos que o fazer, e raramente quando nos apetece. Pensamos quando não devemos ou não queremos.
Temos, então, a necessidade de nos exprimir para os outros. Temos de tornar útil, aquilo que pensamos. Se não, de que serve pensar?
Mas será que aquilo que pensamos é aquilo que dizemos que pensámos. Será que utilizamos as palavras certas? Ou será que quem nos ouve dá o mesmo significado às palavras que nós que as dizemos?
É uma ligação complexa. Quem fala, o emissor, tem de ter em conta quem ouve, para que este o perceba da melhor forma. Mas, mesmo assim, o receptor pode não perceber aquilo que ouviu, não da forma que o emissor quis que ele percebesse.
É uma ligação complicada, geradora de muitos conflitos. Quando não é gerida da melhor forma, a comunicação pode ser o mote para muitos confrontos bélicos. Uma simples palavra forma do contexto pode despertar o mundo para a guerra.
É uma ligação subtil. Esta ligação passa despercebida a todos nós quando a operamos. Nenhum de nós pensa nas consequências que podem ter as palavras que dizemos, a forma como as dizemos. Ou quem as ouve e a forma como as interpreta ou sente.
É de palavras que o nosso mundo é feito. É de comunicação que vivemos. Se não existisse um padrão para que as palavras significassem o mesmo para todos os que as proferem, não haveria descobertas proclamadas, feitos festejados, mudança desejada.
Hoje em dia, é necessário ter cuidado com aquilo que sai da nossa boca. Não só os pirolitos que saem quando espirramos, mas também quando proferimos palavras dirigidas a um público muito vasto: diferentes faixas etárias; diferentes classes sócias; diferentes mentes.
Um presidente da república, quando se dirige à nação, ou quando responde a uma pergunta de um jornalista, tem de ter em conta quem o vai ouvir. Ele sabe que todos vamos tirar as ilações do que ouvimos e que cada um tirará as suas conclusões acerca do que foi dito.
Quão perigoso e instável pode ser esta ligação? Que esforço teremos, nós de fazer, se queremos, um dia, ser entendidos e compreendidos?
si iu laiter

9 comentários:

Catarina' disse...

Acho que faltou aí um ponto de interrogação! =D

Concordo com aquilo que dizes no texto. Carago pah, tu até pareces inteligente!!! =Pp (Mas n, n és nada inteligente, só te safas a Matemática...;) )

Beijinhos.. *

(Fui a primeira!! )

Tendeiro disse...

e teve 19 no exame de quimica
ah pois

FAR disse...

n vi onde é que falta o ponto de interrogação...:D

nem a matemática me safo, isto vem com o Ecstasy (palavra que não sei escrever e tive que ir ao word ver como era)
são momentos de epifania proporcionados pelas drogas, esse 19 foi comprado, o prof era meu tio e devia-me dinheiro.

Anónimo disse...

tens ai um titalu muito totil, mas nºao percebo o que que tem haver com o resto??

ptt moçó da barba( de milho) já K nao há trigo

Catarina' disse...

"Mas será que aquilo que pensamos é aquilo que dizemos que pensámos. Será que utilizamos as palavras certas? Ou será que quem nos ouve dá o mesmo significado às palavras que nós que as dizemos?"

A primeira frase leva, supostamente, um pto de interrogação e n um pto final. :D

[Carago pah, e eu a dizer que tu eras inteligente, só 19 no exame de quimica?? Porraa =Pp]

FAR disse...

era para não dar muita bandeira.... poderiam investigar caso eu tirasse 20

é vvd... tens razão:D

o titulo tem tudo a ver com o resto do texto, anónimo.

comprimentos a todos

Verinhaa disse...

Uau como e' qe desta vez eu posso ser a 7ª pessoa a ca' vir comentar, nunca me tinha acontecido! Ate o Julio se dignou a escrever umas palavrinhas..
Olha Catarina as pessoas viram qe faltava aqui um misterio de um anonimo ou de um someone e tomaram o teu lugar:D
Como ja tinha referido num comentario anterior nao vou comentar o texto. Continua a faltar a Hello kitty mas o cor de rosa e' fundamental!

Anónimo disse...

ta-bem far axo bem. agr esse supusto anonimo sou eu mas fg nao presisas de ficar assim a hello kity pode vir ... ptt e nao atrufiem

FAR disse...

isso de atrufiar é muito complexo, muito, como dizer, de pitas, se é que me entendes.

creio que se se quer dizer alguma coisa que realmente interesse ou que deva ser levada em consideração, temos que saber o emissor, para que possamos interpretar tudo o que nos diz da forma mais adquada. ora, po enquanto, estamos privados de o fazer...

deixa de ser anonimo!

passa a ser quem esta no BI